Entrevistas de JoaQuim Gouveia

21
Nov 13

 

“ESTAMOS A VOLTAR AO TEMPO DA OUTRA SENHORA”

 

Helena Mendes é professora de música e acordeonista na Banda do Andarilho. Preferia ter um grande banda musical para atuar para milheres de pessoas a sair-lhe o euromilhões. Tem do mundo uma imagem negativa e deixou de acreditar em Deus, após a morte do irmão, ainda jovem. Se pudesse colocava alguém no Governo, sem mácula e com novas perspetivas. Está desempregada e tem muitas saudades dos seus alunos. O seu ídolo é Álvaro Cunhal

 

Como foi a sua infância?

Nasci na casa onde os meus pais moravam no antigo bairro Carmona, hoje bairro Afonso Costa. Tinha muitos amigos com quem brincava bastante. Fui boa aluna na escola. Quando eu e o meu irmão nos zangávamos íamos logo para a cama. Era uma regra entre nós. Quando o meu pai chegava a casa e nos via deitados já sabia o que tinha acontecido

 

O primeiro amor…

Foi na escola primária com um rapaz que se chamava Coelho. Foi um namoro de beijinhos e do jogo do bate pé

 

E o primeiro emprego…

Como professora de música na escola Preparatória de Bocage. Tinha 18 anos. Já nem me recordo de quanto ganhava nessa altura

Como é a sua casa? Como a define?

É uma casa acolhedora, onde gosto de estar. Está decorada à minha maneira com a ajuda do decorador setúbalense João Maria

 

O que pensa do mundo?

Está virado do avesso. Estamos a voltar ao tempo “da outra senhora”. Isto está complicado com muitas guerras, terrorismo, injustiças, fome e desigualdades. Tenho uma imagem muito negativa do mundo

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Profissionalmente gostava de fazer mais coisas. Adorava ter uma banda para tocar para milhares de pessoas. Preferia isso ao euromilhões. Como pessoa sinto-me realizada, como mãe, mulher, amiga e companheira. Acho que sou uma boa pessoa

 

Como se resolve a crise?

Se mandasse colocava alguém no poder que nunca tivesse estado por lá. Acho que deveriamos dar oportunidade a pessoas com outras ideias e perspectivas. De resto não tenho solução para a crise

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Já não acredito em Deus. Após a morte do meu irmão fiquei muito revoltada. Era um jovem. Se Deus, só faz coisas bem feitas como dizem, deve andar muito distraído. No entanto acho que há qualquer coisa, talvez uma energia que nos move. Se isso é Deus não sei. Sou batizada mas não vou à igreja nem à missa

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Acho que não. Voltava a fazer tudo como até aqui

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Estou desempregada. Sou professora de música desde os meus 18 anos e este ano não fui colocada. Sou membro da Banda do Andarilho. No futuro quero voltar a dar aulas e continuar a tocar. Tenho saudades dos alunos

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

Amesterdão

 

Um livro

Principezinho (Antoine de Saint-Exupéry)

 

Uma música

Era um redondo vocábulo (José Afonso)

 

Um ídolo

Alvaro Cunhal

 

Um prato

Bacalhau com natas

 

Um conceito

Felicidade

publicado por Joaquim Gouveia às 06:51

Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10

17

24


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO