Entrevistas de JoaQuim Gouveia

25
Nov 13

 

“O MUNDO DÁ MUITO QUE PENSAR”

 

Albano Almeida é uma das mais conhecidas figuras da música setubalense. É musicólogo e músico e a sua experiência é tão vasta que, como viola, já acompanhou quase todos os artistas da cidade. Teve uma infância feliz e recorda que o seu primeiro amor durou até ir para a tropa. Acha que o Homem, criou Deus, no pensamento. Preocuapa-se com as guerras e as cenas terríveis como as que vimos com os refugiados de Lampedusa. Para si o mais importante é a amizade. Jacinto João, do Vitória de Setúbal é o seu ídolo

 

Como foi a sua infância?

Foi muito feliz. Sou natural de Lisboa, mas vim para Setúbal com 5 anos. Foi uma infância com pai, mãe, irmãos e amigos. Tive muita brincadeira. Íamos ao banho na doca dos pescadores e jogávamos â bola nas traseiras do Quartel do 11

 

O primeiro amor…

Tinha 15 anos. Foi uma paixão forte que ainda durou alguns anos até eu ir para a tropa

 

E o primeiro emprego…

No Hotel Esperança, onde o meu pai trabalhava como cozinheiro. Era gourmet-porteiro. Ganhava muito dinheiro em gorjetas

Como é a sua casa? Como a define?

É o meu refúgio. É uma casa simples com duas assoalhadas onde moro com o meu filho. É um apartamento acolhedor e muito agradável. A decoração da sala é feita com violas e fotos da malta da música

 

O que pensa do mundo?

Nos dias que correm dá muito que pensar. O mundo está muito complicado. O drama de Lampedusa e outros do género são horríveis. Eles, coitados, fogem da fome e muitas vezes morrem afogados antes de chegarem ao destino. As guerras como a da Síria, também preocupam. Alguém está a engordar à conta disto.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Profissionalmente procuramos sempre mais e melhor. Em termos humanos estamos sempre a aprender

 

Como se resolve a crise?

Não pode ser resolvida á custa dos mais pobres como estão a tentar fazer. Os mais ricos não querem abdicar das suas margens de lucro. Assim é complicado. Tem que haver equidade na contribuição para acabar com a crise e isso não está a acontecer

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Acho que o Homem criou Deus, no pensamento. Temos essa necessidade de acreditar em algo que nos transcenda. Mas também é isso que nos move

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

No essencial deveria ser um pouco mas diplomata nas minhas ações. De resto não mudaria mais nada. Tenho os meus ideais, as minhas causas e os meus amigos

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Sou assistente técnico na Câmara Municipal de Setúbal. Estou colocado no Museu do trabalho. Sou ainda viola no fado nos meus tempos livres. Num futuro imediato estou a preparar uma grande exposição de instrumentos musicais populares portugueses

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

Brasil

 

Um livro

Crónica de uma morte anunciada (Gabriel G. Marquez)

 

Uma música

Era um redondo vocábulo (José Afonso)

 

Um ídolo

J.J. (Jacinto João)

 

Um prato

Chocos guisados

 

Um conceito

Amizade

publicado por Joaquim Gouveia às 14:08

Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10

17

24


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO