Entrevistas de JoaQuim Gouveia

09
Nov 11

CELESTINA NEVES

 “AS FREGUESIAS SÃO AS CATEDRAIS DA DEMOCRACIA”

 

 Celestina Neves é autarca em Azeitão e gosta do cargo que ocupa pela proximidade que isso implica junto dos seus concidadãos. Católica frequentou um colégio de freiras na Guarda, cidade onde conheceu o seu primeiro amor às escondidas das religiosas. Em criança teve toda a liberdade para brincar mas aos dezoito anos já leccionava em Oleiros, no ensino básico. O mundo traz-lhe preocupações acrescidas pelo facto de ser avó. Pede desculpa se foi injusta mas acredita que nunca o terá sido de forma consciente ou deliberada. Nèlson Mandela é o seu ídolo maior.

 

Como foi a sua infância?

- Foi muito feliz. Sou natural de Ourondo (Covilhã), onde morei até aos dez anos. Na altura já existia parque infantil, jardins e ringue de patinagem onde eu brincava muito. Tinha toda a liberdade do mundo para brincar. Ourondo é uma terra com muita água, onde passam dois rios, um é o Zêzere.

O primeiro amor...

- Estava num colégio de freiras, na Guarda e deveria ter quinze anos. Foi um amor platónico por um rapaz que também gostava de mim. As freiras nunca descobriram.

E o primeiro emprego…

- Professora do ensino básico, em Oleiros, com dezoito anos. Tinha quatro turmas e trinta e oito alunos. Ganhava cerca de dois mil e cem escudos, na antiga moeda.

- Como é a sua casa, como a define?

-É um lar muito familiar, tranquilo, com muito amor, solidariedade e respeito pelas diferenças de cada um.

O que pensa do mundo?

- Talvez porque já sou avó preocupa-me bastante. Os nossos filhos tiveram uma vida bastante facilitada. Os pais foram uma autêntica almofada. Eles foram levados ao colo. Agora a pergunta coloca-se ao nível dos nossos netos. Os nossos filhos, já adultos e pais não conseguem dar-lhes a mesma vida, ser a mesma almofada. Estou bastante preocupada com o futuro deles.

Como se ultrapassa a crise?

- Com trabalho, sem dúvida. Mas também com maior justiça social e mais solidariedade. As riquezas do mundo não podem continuar nas mãos de meia dúzia. Infelizmente o poder ainda está concentrado numa pequena minoria.

Sente-se realizada humana e profissionalmente?

- Muito. Atingi os meus objectivos. Fui lutadora naquilo em que acreditava, nas boas causas. Profissionalmente tive uma vida cheia. A vida de autarca de junta de freguesia preenche-me pela proximidade que se tem com os cidadãos e os seus problemas e anseios. Dá-nos, muitas vezes, a possibilidade de resolver questões no imediato. As freguesias são a catedral da democracia.

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

- Sou crente, portanto, acho que Deus criou o Homem. A minha crença surge pela educação que recebi na infância e, vida fora, descobri que a fé é um suporte na nossa vida. Por outro lado penso que o mundo não poderá ser obra do acaso.

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

- Nada. Não estou arrependida de coisa alguma. Posso ter feito mal a alguém mas nunca o fiz de forma consciente ou deliberada. Se fui injusta sou a primeira a pedir desculpas. 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

- Sou presidente da Junta de Freguesia de S. Lourenço, em Vila Nogueira de Azeitão. No futuro vou continuar o meu trabalho por aqui e ser, cada vez mais, melhor pessoa, melhor mãe, avó e amiga.

 

CAIXA ALTA

 

Um destino

- África

Um livro

- A mãe

Uma música

- Qualquer uma dos Beatles

Um ídolo

-Nélson Mandela

Um prato

- Cozido à portuguesa

Um conceito

- Solidariedade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Joaquim Gouveia às 10:49

Acabei de assistir a uma reportagem televisiva onde a senhora(?) trata os javalis como um empecilho para si, já que a população em geral trata-os bem. Quando a senhora foi para Azeitão os javalis já aí existiam. Nota-se o tipo de senhora(?) que é pelas fotos que publica no seu mural, trata de tantos "brinquedos" caninos (que também têm direito á vida e a bons tratos) quando existem tantos animais abandonados na sua zona. Sei do que falo porque tenho uma residência na zona limítrofe e assisto e trato de muitos cães e gatos abandonados.
Repugnante a sua atitude.
Fim da conversa de chat
Anónimo a 22 de Março de 2015 às 22:12

Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO