Entrevistas de JoaQuim Gouveia

09
Set 14

 

Com o apoio HOTEL DO SADO

 

“O MUNDO ESTÁ UM BOCADO ESTRAGADO”

 

Célia David é atriz e diretora do Teatro de Animação de Setúbal. Nasceu no Alentejo, em Abela, no concelho de Santiago do Cacém, mas com apenas 6 anos radicou-se na Quinta do Anjo, onde cresceu, frequentou a escola primária e repartiu brincadeiras com os amigos. A sua casa é organizada, com 2 gatos e muitos livros. Pensa que o mundo está estragado por culpa do Homem, que não respeita o planeta. Sente-se de certa forma realizada porque diz gostar muito de si o que só lhe faz bem. A crise resolve-se quando puxarmos todos para o mesmo lado e houver uma mudança de mentalidades a favor da cultura dos povos. Adora a Arrábida, gosta de ouvir Lou Reed e o respeito é o seu principal conceito de vida.

 

 

Como foi a sua infância?

Foi ótima. Tenho pena não ter sido durante mais tempo. Brinquei muito, o mais que pude com amigos, com a minha irmã e sózinha. Nasci em Abela, Santiago do Cacém e depois fui morar para a Quinta do Anjo, quando tinha 6 anos. Ali fiz toda a escola primária. Fui boa aluna embora irrequieta e faladora, mas bem educada. Era uma escola feminina, antes do 25 de Abril. Lembro-me que a professora era a Dona Elisa.

 

O primeiro amor...

Não fui moça de muitos amores. O primeiro amor foi com um amigo meu de Palmela. Foi apenas platónico.

 

O primeiro emprego...

Foi no Teatro de Animação de Setúbal. Na altura ganhava 250 escudos por espetáculo.

 

Como é a sua casa? Como a define?

Organizada. Tem 2 gatos, tem muitos livros, é confortável e funcional. Gosto muito de estar em casa. Tem uma boa cozinha, o que é ótimo porque gosto muito de cozinhar.

 

O que pensa do mundo?

Acho que está um bocado estragado por culpa nossa. Devíamos ter mais respeito uns pelos outros e pelo próprio planeta. O problema são as relações de poder. Cada um de nós deveria contribuir para o bem estar de todos. É uma questão de mentalidade.

 

Sente-se realizada humana e profissionalmente?

Mais ou menos. Faço o que gosto, gosto muito de mim, sou muito minha amiga e isso traz-me realização Contudo, sou muito inquieta, por isso dificilmente posso estar completamente realizada, tanto a nível pessoal, como profissional.

 

 

Como se resolve a crise?

A crise financeira só se resolve quando trabalharmos todos no mesmo sentido de justiça e oportunidade. A crise de valores passa por uma mudança de mentalidades e pela educação e cultura dos povos.

 

Deus criou o homem, ou foi o homem que criou Deus?

Foi o Homem quem criou Deus. Sou católica e acredito que há um a entidade superior a que nós chamamos Deus, mas que não criou o Homem. Existe apenas para nos apoiarmos porque o Homem precisa disso, transmite-lhe segurança.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Talvez. Se a vida é uma aprendizagem, certamente corrigia algumas coisas.

 

O que faz no presente e que projetos tem para o futuro?

Sou diretora do Teatro de Animação de Setúbal e professora de expressão dramática. No futuro pretendo manter a minha atividade no teatro como docente. Acho que o meu trabalho é útil e contribuo para a educação e a cultura que são fundamentais.

 

 

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

Arrábida

 

Livro

A um Deus desconhecido (John Steinbeck)

 

Uma música

Such a perfect day (Lou Reed)

 

Um ídolo

Não tenho

 

Um prato

Polvo à lagareiro

 

Um conceito

Respeito

 

publicado por Joaquim Gouveia às 00:22

Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
20

21
23
27

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO