Entrevistas de JoaQuim Gouveia

17
Jun 14

 

COM O APOIO DO "HOTEL DO SADO"

 

“NÓS NÃO RESPEITAMOS A PALAVRA DE DEUS”

 

A dra. Helena Ferreira é proprietária do Hotel do Sado, onde faz de cada dia um compromisso para com os que lhe estão mais perto. Teve uma infância feliz e divertida com um relacionamento muito próximo do mar e da serra. Define-se como uma pessoa otimista por natureza. Para si o mais importante é o ser em detrimento do parecer. A crise, no seu entendimento resolve-se quando cada um desempenhar as suas funções com dedicação e brio e acredita que é importante que o Homem crie Deus, a cada dia para ser positivo no mundo. Adora os filhos e sente-se uma pessoa aberta a experimentar as oportunidades que lhe surjam caso nelas acredite.

 

Como foi a sua infância?

Nasci no hospital de Setúbal. Tenho recordações muito ligadas ao mar, aos barcos, aos passeios e à aventura. O meu pai sempre esteve ligado ao desporto. Tinhamos uma vida muito rica em atividades lúdicas muito relacionadas com o mar, a praia, a serra e a região. Na escola fui sempre determinada e boa aluna. Desde criança que faço tudo com muita paixão e envolvência.

 

O primeiro amor…

Com 12 anos tive o primeiro amor, ajudado pela minha irmã mais velha, porque era o irmão da melhor amiga dela e irmão do meu actual cunhado,. Acabámos por ser família, mas por outra via.

 

E o primeiro emprego…

Na Arthur Andersen (agora Delloite),como auditora/consultora, tinha 21 anos. Acho que na altura ganhava 48 contos.

 

Como é a sua casa? Como a define?

A minha casa é a minha cara. São espaços abertos, arejados e amplos com muita luz. Não gosto de espaços atravancados. Gosto de respirar a boa energia. Desde criança que a luz e o ambiente da Arrábida me alimentam a alma e me trazem a energia de que preciso diariamente.

 

O que pensa do mundo?

Sou uma otimista. Não sou idealista. Sou muito assertiva no que faço. Apesar de todas as alterações que o mundo atravessa, nomeadamente, ao nível dos valores da família, que hoje em dia está fisicamente muito dispersa, acho que podemos tirar partido para nos virarmos mais para o ser em detrimento do parecer. Se formos inteligentes a alteração desses valores beneficiar-nos-á imenso.

 

Sente-se realizadoa humana e profissionalmente?

Gostava de conseguir fazer mais do que tenho feito, mas não é tarde. No campo profissional estou realizada e com orgulho de ter deixado saudades e boa imagem em todos os sítios por onde passei. Gostava de ter mais tempo para a minha família, mas sou uma privilegiada pelos dois filhos fantásticos que tenho que são o melhor que há no mundo e que me ensinam todos os dias mais sobre a vida.

 

 

Como se resolve a crise?

Se toda a gente pensasse em fazer as suas funções o melhor que pode e sabe, com dedicação, tinhamos uma parte significativa dos problemas resolvida. A globalização, a automação e o envelhecimento da população dificultam a resolução da crise.Por outro lado, as grandes empresas podem e deveriam contribuir para o desenvolvimento da economia, se adoptassem uma postura correta com as pequenas e médias empresas. É uma vergonha que procurem (e consigam) a maximização dos seus resultados através das fragilidades e prejuízo das PME – Os negócios têm que ser bons para ambas as partes, e um empresário deve ter sempre isso em consideração.

Tem que existir um compromisso e brio da parte de cada um de nós.

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Acho que são as duas coisas. Sou católica apesar de não me identificar com todos os dogmas da religião. É importante que o Homem crie Deus, em cada dia para ser positivo no mundo em que vivemos. Nós não respeitamos a palavra de Deus, nomeadamente, a honestidade.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Mudaria algumas coisas, porque estamos sempre a aprender. A vida ensina-nos muita coisa. Se eu não mudasse nada na minha seria porque não tinha aprendido. Há coisas que sódescobrimos vivenciando e temos que arriscar para evoluir. O que mais nos magoa torna-nos mais fortes.

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Sou proprietária do Hotel do Sado, onde cada dia de trabalho é um compromisso com cada um dos meus colaboradores, parceiros e família e é por cada um deles que me empenho com total determinação no meu trabalho. Os projetos para o futuro dependem das oportunidades que surjam. Sou uma pessoa aberta a qualquer desafio que acredite para abraçar com a dedicação e o empenho em que sinta que é uma mais-valia. Não tenho linha definida, mas é isso que me dá gozo.

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

África

 

Um livro

Os Contos de Nárnia (Clive Stapleton Lewis)

 

Uma música

Wonderful World (Israel Kamakawino)

 

Um ídolo

Os meus pais

 

Um prato

Não tenho prato de eleição mas gosto de comer

 

Um conceito

Dar no dia-a-dia o melhor que temos para dar porque estamos a construir o nosso amanhã e o amanhã do resto do mundo

publicado por Joaquim Gouveia às 11:16

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO