Entrevistas de JoaQuim Gouveia

03
Fev 14

 

Com o apoio “HOTEL DO SADO”

 

“A CRISE É IRREMEDIÁVEL E CÍCLICA”

 

Eusébio Lima é um empresário ligado à área do golf. Nasceu na Quinta do Anjo, no tempo em que se brincava na rua e se pagavam 5 tostões para ver televisão no café. Namorou uma antiga Raínha das Festas das Vindimas e começou a trabalhar na Pousada de S. Filipe. Tem a ideia de que a globalização do mundo é inevitável e a transformação dos meios de comunicação atingiu uma velocidade estonteante. É um homem de fé e quase todos os dias, à sua maneira, fala com Deus. Já conheceu 56 países e quer, no futuro, ajudar as marcas que representa a cimentarem a sua posição no mercado nacional

 

 

Como foi a sua infância?

Muito feliz. Nasci na Quinta do Anjo, numa altura em que se tomavam banhos nos tanques, andava-se de bicicleta, brincava-se na rua, faziam-se carrinhos de rolamentos, enfim, no tempo em que se respirava ar livre e éramos todos muito felizes. Aos 6 anos saía da escola primária e ía pastar ovelhas. Ganhava uma quarta de manteiga por semana. Na escola fui sempre um bom aluno. Sou ainda do tempo em que se pagavam 5 tostões para ver televisão no café do Ti Adelino.

 

O primeiro amor…

Tinha 16 anos. Foi um grande, grande amor com uma rapariga das Cabanas, que tinha sido raínha das Festas das Vindimas, nesse ano. O namoro ainda durou bastante.

 

E o primeiro emprego…

Na Pousada de S. Filipe, num estágio da Escola de Hotelaria. Ganhava 18 contos por mês.

 

Como é a sua casa? Como a define?

É uma casa onde se respira harmonia, compreensão e amor. Tenho lá o meu escritório. No fundo acaba por ser também o meu refúgio.

 

O que pensa do mundo?

Teve uma grande transformação ao nível da eletrónica e dos meios de comunicação. Tivemos nesta geração o privilégio de assistir a essa evolução. Hoje sabe-se uma notícia num segundo e num segundo comunica-se com todo o mundo. É uma velocidade estonteante. A globalização é inevitável. Não sei, no entanto, se caminhamos bem ou mal. Caminhamos como podemos dentro da nossa realidade.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sim. Tive uma infância feliz, estudei, trabalhei e tive a felicidade de pertencer ao mundo dos negócios na área do golf, que já me deu a possibilidade de conhecer 56 países.

 

Como se resolve a crise?

Não consigo ver luz ao fundo do túnel. Por muito que lutemos parece não haver solução para os próximos anos. É uma crise irremediável e cíclica.

 

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Deus criou o Homem. Sou católico. Vou quase todos os dias á Igreja para me benzer e falar com Deus, à minha maneira. Saio com muito mais esperança na vida.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Teria pedido a minha companheira em casamento há muito mais tempo.

 

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Sou empresário em diversas áreas de negócio. No futuro quero cimentar a marca Catmandoo e ajudar a Allure Villas, a crescer no mercado nacional.

 

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

Rio de Janeiro

 

Um livro

As palavras que nunca te direi (Nicolas Sparks)

 

Uma música

Na cabana junto á praia (José Cid)

 

Um ídolo

Eusébio

 

Um prato

Cozido á portuguesa

 

Um conceito

Viver e deixar viver

publicado por Joaquim Gouveia às 07:55

Fevereiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

16

23
25
26


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO