Entrevistas de JoaQuim Gouveia

03
Jul 14

 

Com o apoio: Hotel do Sado

 

“DEUS É CIADOR DE UMA BELEZA MATEMÁTICA”

 

Luisa Sobral é enfermeira/parteira no Hospital de S. Bernardo. Adora a sua profissão e com a sua determinação, empenho e profissionalismo já ajudou ao nascimento de centenas de crianças nesta cidade. Teve uma infância feliz e ficou de cama quando o seu primeiro amor partiu para terras de França. Apesar de encontrar muita controvérsia no mundo ainda acredita nas pessoas de boa vontade e em Deus, como o criador de uma beleza matemática. Sente-se uma pessoa determinada e é vegetariana porque, para si, os animais não são para comer

 

Como foi a sua infância?

Nasci no Hospital de S. Bernardo, hà 54 anos. Tive uma infância feliz. Estudei e brinquei. A minha mãe era doméstica e o meu pai trabalhava na Sécil. Tinha um irmão e muitos amigos com quem brincava bastante. Lembro-me que ia comprar o pão todos os dias à rua da Brasileira e, também, do primeiro autocarro de passageiros que subiu à Reboreda.

 

O primeiro amor…

Foi por um rapaz francês chamado Pierre Costa. Nunca me esqueci dele. Tinha 16 anos. Depois ele foi para França. Chorei baba e ranho e fiquei de cama uns dias.

 

E o primeiro emprego…

No laboratório de análises clínicas do Dr. Perdigão, em 19981/82. Ganhava 9 contos.

 

Como é a sua casa? Como a define?

É o meu lar.

 

O que pensa do mundo?

Penso que cada um de nós podia investir um pouco mais a cada dia para que houvesse mais justiça, equiíbrio social e solidariedade. É um mundo controverso que está a tomar proporções que ultrapassam o nosso entendimento. Ainda acredito nas pessoas de boa vontade.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sim, muito. Se aproveitarmos bem a vida vamos crescendo e desfrutando os potenciais que nos são dispensados e evoluímos mesmo. Tenho atingido os objetivos a que me propus mas quero ainda fazer muito mais.

 

 

Como se resolve a crise?

Com a boa vontade daqueles que o povo português escolheu, mas essa boa vontade perdeu-se pelo caminho. É necessário que o povo também faça os seus esforços embora com ajuda. Temos que ser impulsionados para dar o nosso melhor e gratificados por isso. A sociedade deveria ser de todos e para todos.

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Acho que Deus criou o Homem. Sou cristã. Também por força da minha profissão de obstetra não acredito que o Homem seja obra do acaso, porque a perfeição é tanta que do nada nunca poderia existir a beleza contida no ser humano e na própria Terra. É tudo muito matemático. Temos que ter muita fé para sabermos quem é este Deus, de que tanto falamos e temos que conhecê-lo.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Pouca coisa. Sou uma pessoa muito determinada.

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Sou enfermeira obstetra no Centro Hospitalar de Setúbal. Sou uma lutadora pela causa animal e estou integrada em várias organizações nacionais e internacionais. Não como carne, mas como peixe. Os animais não são para comer. No futuro pretendo manter-me na minha atividade profissional e aproveitar o melhor da vida.

 

CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino

Brasil

 

Um livro

A Bíblia

 

Uma música

Je t’aime (Lara Fabian)

 

Um ídolo

Jesus Cristo

 

Um prato

Vegetariano

 

Um conceito

Amar e ser amado

publicado por Joaquim Gouveia às 07:26

Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
19

20
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO