Entrevistas de JoaQuim Gouveia

21
Nov 18

Com o apoio do HOTEL DO SADO

 

Foto.jpg

 

"O MUNDO VAI CAMBALEANDO DE CRISE EM CRISE"

 

O Dr. José Peres Claro é presidente do Clube de Colecionismo de Setúbal. Nasceu em Estremoz, onde o pai era diretor da Escola Industrial e Comercial, mas veio para Setúbal, com apenas 8 anos de idade. Lembra-se dos tempos de escola e brincadeiras e do seu primeiro emprego como professor nas caldas da Rainha. Pensa que o mundo é um lugar aprazível para os privilegiados da sorte e não sabe por quanto mais tempo o planeta irá aguentar o ser humano com a sua beleza natural. Para si vamos cambaleando de crise em crise sem que esta se resolva. Não culpa Deus pelo mal que nos está a acontecer. Não tem ídolos e gosta de comer Leitão à bairrada.

 

Como foi a sua infância?

Sou natural de Estremoz, onde o meu pai era diretor da Escola Industrial e Comercial. Vim para Setúbal, com 8 anos. Sou filho único. Brincava em casa com os amigos da escola e os da rua onde morava. Brincávamos na horta, nas ruas, no adro da Igreja. Lembro-me de ir pela primeira vez à escola acompanhado pelo meu pai. Chovia torrencialmente. Recordo-me das grandes e constantes chuvadas que aconteciam na vila. Na escola fui um bom aluno. A partir da 3ª classe já estava em Setúbal, onde terminei o liceu.

 

O primeiro amor…

Os namoros só começaram na Faculdade. Não me lembro de nenhum em especial. A primeira paixão a sério foi pela minha mulher com quem, aliás, casei.

 

E o primeiro emprego…

Como professor de matemática e ciências naturais em Caldas da Rainha. Não me lembro de quanto ganhava.

 

Como é a sua casa? Como a define?

Onde me sinto bem, é uma casa organizada segundo os nossos gostos. Não é a minha casa ideal porque decidimos não morar em vivendas. Tinha que ter um jardim e espaço para bricolage.


O que pensa do Mundo?

É o nosso lar, um lugar maravilhoso pela diversidade e beleza. Não sei por mais quanto tempo o mundo irá aguentar os humanos sendo um lugar aprazível. O mundo tem muitas diferenças como zonas onde se vive muito bem e outras onde isso não é possível. É assustadora a dicotomia entre o muito bom e o muito mau. O mundo é aprazível para os privilegiados da sorte.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sinto-me bem com o que fiz. Eventualmente gostava de ter feito mais mas já não tenho genica para me meter em mais atividades.

 

Como se resolve a crise?

A crise não se resolve. Vamos cambaleando de crise em crise, vamos sobrevivendo à espera de um novo salto civilizacional que salve e melhore a humanidade.

 

Foto jovem.jpg

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Sou crente e cristão. Creio num Deus e tenho esperança que ele nos ajude a melhorar a nossa condição de humanos. Agora estamos por nossa conta. Não culpo Deus, pelo mal que nos está a acontecer.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

A minha vida tem sido uma experiência positiva. Se pudesse voltar atrás poderia ter experimentado outros caminhos talvez com outros resultados.

 

Que faz no presente e que projectos para o futuro?

Sou presidente do Clube de Colecionismo de Setúbal, sou colecionador e sou avô. Nunca tenho as minhas coisas completamente arrumadas. Tenho as minhas coleções sempre à minha espera.


CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino:

Praia Fernão Veloso (Moçambique)

 

Um Livro:

20 Mil léguas submarinas (Júlio Verne)

 

Uma Música:

Take my breath away (Berlin)

 

Um Ídolo:

Não tenho

 

Um prato:

Leitão à bairrada

 

Um conceito:

Respeito cívico

 

 

 

publicado por Joaquim Gouveia às 12:00

Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15
17

18
24

25


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO