Entrevistas de JoaQuim Gouveia

11
Dez 18

Com o apoio do HOTEL DO SADO

 

Foto.jpg

 

"NÃO HÁ SOSSEGO ENTRE OS PAÍSES"

 

Eduardo Guilherme é presidente da Associação de Ciclismo do Distrito de Setúbal. Natural de Angra do Heroísmo está radicado na nossa cidade desde os seus 28 anos. A sua infância foi passada em Lisboa, onde frequentou a escola da Voz do Operário. Começou a trabalhar com apenas 10 anos numa corticeira da capital. Tem do mundo a ideia de que não há paz nem concórdia. Pensa que os países provocam as guerras entre si. Sente-se um homem realizado na vida porque sempre fez o que mais gostava. Apesar da idade continua ligado ao ciclismo e gostava de ver o aparecimento de gente nova que ocupasse o lugar que agora detém. Gostava, ainda, de visitar a sua terra natal.

 

Como foi a sua infância?

Nasci em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira. O meu pai era militar na grande guerra de 40. Com poucos meses de vida fui morar para Lisboa. Só vim para Setúbal com 28 anos de idade. Morávamos na Calçada da Ajuda, nas casas dos militares. Andei na escola da Voz do Operário, até à 4ª classe. Depois tive que ir trabalhar. Lembro-me das brincadeiras da época. Os miúdos conviviam bastante.

 

O primeiro amor…

Foi depois da escola mas não pegou. Mais tarde é que comecei a namorar mais a sério.

 

E o primeiro emprego…

Com 10 anos numa fábrica de cortiça em Lisboa, na Avenida da Índia. Ganhava 10 tostões por dia.

 

Como é a sua casa? Como a define?

É uma casa normal, grande, acolhedora e bastante tranquila. Já lá moro há 40 anos. É o meu porto de abrigo.

 

O que pensa do Mundo?

Está numa grande crise. Não há sossego entre os países. Nunca gostei nem de guerras, nem de armas. A Rússia e a Ucrânia parecem estar a preparar-se para mais uma guerra. Não há paz no mundo. A própria Europa não tem paz. Veja-se o Brexit, que também não trás paz nem concórdia entre a União Europeia.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sim. Trabalhei no que gostei toda a vida e abracei a carreira do associativismo muito cedo. Penso que tenho cumprido em prol da sociedade. Sinto-me realizado.

 

Como se resolve a crise?

Se todos trabalhássemos em prol dela. Deveria existir mais gente a trabalhar e criar-se ainda mais postos de trabalho a bem da coletividade.

 

Foto jovem.jpg

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Não tenho ideia formada sobre a religião. Sou cristão não praticante. Respeito todas as religiões. Essa pergunta é um mito que se criou. Quem escreveu a bíblia foi o Homem. Acho que alguma coisa existe para estarmos por aqui, talvez um ser superior, não sei.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Talvez me tivesse aplicado mais nos estudos mas naquela altura tinha que se trabalhar para sustentar a casa. Gostava de ter sido outra pessoa com mais estudos.

 

Que faz no presente e que projetos para o futuro?

Sou presidente da Associação de Ciclismo do Distrito de Setúbal e estou reformado. Todos os dias me dedico à associação. Pretendo manter-me ligado a ela mas gostava que aparecesse sangue novo para ocupar o meu lugar e desenvolver a modalidade.




CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino:

Angra do Heroísmo

 

Um Livro:

Leio jornais

 

Uma Música:

Fado

 

Um Ídolo:

Rui Costa

 

Um prato:

Leitão à bairrada

 

Um conceito:

Transparência

 

 

publicado por Joaquim Gouveia às 09:35

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO