Entrevistas de JoaQuim Gouveia

14
Dez 18

Com o apoio do HOTEL DO SADO

 

Foto.jpg

 

“OS REFUGIADOS FAZEM DESPERTAR UM NOVO PENSAMENTO”

 

Fernando carvalho é presidente do Clube Ateneu Setubalense. É natural de Setúbal, do bairro Trindade, onde cresceu e brincou sobretudo em jogos de futebol. Foi aluno fundador da Academia Luisa Tódi. Sobre o mundo pensa que as questões dos refugiados e do clima geram um novo pensamento global. Acredita que se vive num clima de paz podre. Se pudesse voltar atrás acabaria o seu curso de economia. Gosta de livros de Heinz Konsalik, o seu pai é o seu ídolo e não dispensa um bom bacalhau à Brás.

 

Como foi a sua infância?

Sou natural de Setúbal, do bairro Trindade, onde vivi até casar. O meu pai tinha um armazém de cereais e legumes. A minha mãe era doméstica. Fui um dos alunos fundadores da Academia Luísa Todi, onde passei tempos muito felizes. Fui um bom aluno. Aprendi a tocar piano. A brincadeira era jogar futebol que me estava na massa do sangue.

 

O primeiro amor…

Creio que foi pela minha mulher. Começámos a namorar muito jovens, com 14 anos e até hoje.

 

E o primeiro emprego…

No Vitória de Setúbal, quando assinei o meu primeiro contrato de profissional de futebol na época 75/76, já como sénior. Ganhava 6 contos por mês e tinha o incentivo de ao fim de 10 jogos passar para 10 contos o que aconteceu passado pouco tempo.

 

Como é a sua casa? Como a define?

Mudei recentemente de casa e estamos bastante felizes. Parece ser a casa que sempre procurámos. É muito acolhedora, num prédio antigo e numa zona agradável.

 

O que pensa do Mundo?

O problema dos refugiados começou a despertar um novo pensamento. Por outro lado a questão do clima faz as pessoas pensarem no que têm que fazer para mudar obrigatoriamente. A guerra é preocupante. Parece que andamos num clima de paz podre. O presidente dos Estados Unidos não gere simpatia e pensa que o mundo gira à sua volta.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sim. Fui uma pessoa criada com princípios. Os tempos eram outros mas os meus pais transmitiram-me os valores e os princípios necessários. Profissionalmente também me sinto realizado, não tanto a nível desportivo, mas sim depois na banca.

 

Como se resolve a crise?

Se houvesse mais igualdade entre as pessoas e diminuindo a pobreza. Se não resolvesse pelo menos atenuava.

 

Foto criança.jpg

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Sou católico não praticante. De quando em vez vou à igreja. Para mim foi Deus, quem criou o Homem.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Alguma coisa era capaz de mudar. Teria, claramente, concluído o meu curso de economia.

 

Que faz no presente e que projetos para o futuro?

Sou presidente do Clube Ateneu Setubalense e estou reformado. Tenho dois objetivos para continuar a cumprir que têm a ver com a afirmação dos nossos filhos e o crescimento das minhas netas.




CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino:

Bora bora

 

Um Livro:

Livros de Heinz Konsalik

 

Uma Música:

Musica no coração

 

Um Ídolo:

O meu pai

 

Um prato:

Bacalhau à Brás

 

Um conceito:

Respeito pelos outros

 

 

publicado por Joaquim Gouveia às 10:23

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
15

16
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO