Entrevistas de JoaQuim Gouveia

30
Nov 18

Foto.jpg

 

"AINDA TENHO MUITO POR FAZER"

 

O Dr. Nuno Marques é presidente da Sociedade Musical Capricho Setubalense. Em criança frequentou a Academia Luísa Tódi, onde também aprendeu a executar alguns instrumentos musicais. Lembra-se das brincadeiras de rua que se estendiam pela serra, pelos conventos e doca dos pescadores. Para si o mundo é um lugar maravilhoso que a espécie mais inteligente entre as espécies tem colocado em causa. Diz-se desapegado dos bens materiais. Gosta de reunir em sua casa a família e os amigos. Sabe que a vida não é retroativa e que nos fazem falta todas as circunstâncias pelas quais passamos na nossa existência. Gosta de ler José Saramago, ouvir Mário Regalado e comer um bom cozido à portuguesa.

 

Como foi a sua infância?

Sou natural de Setúbal. Nasci no hospital de S. Bernardo. Passei a infância entre o Bairro do Liceu e o Bairro do Troino, com muitas incursões pela Arrábida e Tróia. Frequentei a Academia Luísa Todi. Fui um aluno médio. Aprendi piano, órgão e saxofone. Lembro-me de brincar, essencialmente, na rua e de nos embrenharmos na serra, nas quintas até ao forte de S. Filipe, Convento de S. Francisco, doca dos pescadores e Avenida Luísa Todi. Recordo-me do tempo do Extra e da feira de Santiago, na Avenida Luísa Todi.

 

O primeiro amor…

Foi Setúbal. Apaixonei-me pela cidade muito antes de olhar para as raparigas. Fui escoteiro desde os 6 anos e isso ajudou à minha relação com a cidade.

 

E o primeiro emprego…

Com 14 anos a trabalhar nas férias numa loja da baixa. Ganhava 40 contos por mês.

 

Como é a sua casa? Como a define?

Sou muito desapegado dos bens materiais. A minha casa é onde tenho as minhas coisas e onde junto a família e os amigos.


O que pensa do Mundo?

É um espaço maravilhoso povoado por milhares de espécies fantásticas. No entanto, a espécie mais inteligente é tão complexa que tem posto em causa a casa de todos. Acredito no futuro porque também acredito no ser humano.

 

Sente-se realizado humana e profissionalmente?

Sou razoavelmente feliz e satisfeito em vários registos diferentes da minha vida mas ainda tenho muitas coisas por fazer. Por isso não me sinto completamente realizado.

 

Como se resolve a crise?

Julgo que se resolve colocando o ser humano no centro das preocupações e prioridades.

 

Foto criança.jpg

 

Deus criou o Homem, ou foi o Homem quem criou Deus?

Foi o Homem quem criou Deus, por necessidade de encontrar resposta para muitas questões às quais não sabia responder.

 

Se pudesse voltar atrás o que mudaria na sua vida?

Não mudaria nada porque a vida não é retroativa e precisamos de tudo o que nos aparece de forma imprevista. Umas vezes decidimos melhor e outras pior. Faz parte do percurso da nossa vida.

 

Que faz no presente e que projetos para o futuro?

Sou presidente da Sociedade Musical Capricho Setubalense e membro do executivo da União das Freguesias de Setúbal. No futuro continuarei ligado ao movimento associativo e a trabalhar voluntariamente em prol da comunidade.



CAIXA DAS PALAVRAS

 

Um destino:

Setúbal

 

Um Livro:

Memorial do Convento (José Saramago)

 

Uma Música:

Desejo de voltar (Mário Regalado)

 

Um Ídolo:

Não tenho

 

Um prato:

Cozido à portuguesa

 

Um conceito:

A união faz a força

 

 

 

publicado por Joaquim Gouveia às 11:20

Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15
17

18
24

25


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO